sábado, 1 de junho de 2013

as crónicas da vódrasta

Daqui a muito, muito tempo, quando o meu menino já não for um menino, espero que se lembre de mim com a doçura e complacência que só temos para com aqueles por quem nutrimos verdadeiro afeto.
Espero que mantenha o dom da fantasia que o ensino a cultivar, espero que se sinta reconfortado por saber que foi muito querido, que riu muito, que brincou muito e que foi feliz.
Espero que um dia, daqui a muito, muito tempo, quando o meu menino for um homem, seja um homem melhor porque teve uma avó que o amou.
E espero que nunca perca aquelas covinhas no rosto quando sorri ♥



1 comentário :

  1. É exactamente isso que penso em relação ao meu sobrinho (que não é meu, mas é).

    Beijinho doce :)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺