segunda-feira, 11 de março de 2013

crónicas da vódrasta

Devido ao temporal da semana passada, deu-me um ataque de preguicite e baldei-me à melhor cabeleireira do mundo.
Ora é certo e sabido que eu só me sei pentear de 2 maneiras: secar ao ar, apanhando o cabelo ou pondo-lhe uma bandolete e que independentemente de todos os alisamentos do mundo isto é uma nuvem de lã que trago pegada a mim.
Também é certo, embora menos sabido, que se não puser tinta nestas raízes a cada duas semanas se nota uma aura branca em redor do rosto.
A juntar a tudo isto ando a deixar crescer as sobrancelhas, porque quando lhes meto uma pinça me desgraço.
Sábado dei um jeito a uma anca a por body lotion depois do banho (não sei como, não se riam que ainda doi) e como continuava preguiçosa, saí de casa quase de pijama, sabrinas, leggings e camisola, sem maquilhagem, de óculos e a coxear, só para ir jantar com o meu homem ao restaurante do costume.
Ou seja, estava no meu melhor, incapacitada para brincadeiras mais ativas, mas preparada para uma noite de histórias.
Portanto, estamos nós nisto, eu toda torta rodeada de almofadas e livros e aparece a mamã, com um casal de bonecos de pano sarnosos que me deu para as mãos e desata a tirar fotografias.
Porquê? Porquê? Porquê?
(desta vez fui eu que não parava de perguntar, não foi o menino escarlate)
Ora então diz que é um projeto da escolinha, que os bonecos sarnosos são o Nino e a Nina, as mascotes da sala dele, e que têm de fazer um albúm fotográfico sobre o fim de semana dos pimpolhos.
E pronto, o meu pior dia ficou registado para a posteridade e perpetuado na vida do mini homem, para todo o sempre fotografias onde a vódrastas aparece grisalha, desgrenhada, sem maquilhagem e sobrancelhuda e a avó é dona dum cabeleireiro* e aposto que não foi preguiçosa...
(* que não é mau mas que não é o melhor cabeleireiro do mundo, esclareça-se)



1 comentário :

Obrigada pelo comentário ☺