quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

post scriptum

Eu já fui uma pessoa que gostava de canela.
Nunca fui de por canela num pastel de nata, por exemplo, mas gostava de canela.
Dá-se o caso que uma vez fui almoçar a um restaurante daqueles pseudo chiques e pedi para sobremesa uma tarte de maçã.
E puseram-me à frente um prato com uma tarte de maçã afogada num molho cheio de canela.
Confesso que a visão de tanta canela me deixou logo agoniada.
Quando comecei a comer percebi que a tarte e respetivo molho estavam mornos.
E pronto, era um almoço chique, num sítio pseudo chique, com gente importante que até tinha tido a simpatia de me convidar para almoçar... e eu lá fui fingindo que comia a tarte de maçã.
Posso dizer-vos que se seguiu uma das tardes mais longas e agonizantes da minha vida
Foi há mais de 3 anos e ainda me custa escrever c-a-n-e-l-a.
(blargh!)


6 comentários :

  1. É quase como quando se apanha uma bebedeira de algo especifico, que se fica a odiar, para todo o sempre, aquele sabor e só o cheiro dá náuseas. Às vezes passa, outras não.

    ResponderEliminar
  2. eh eh ainda bem que nunca tal me aconteceu e continuo a adorar canela! Ponho até no café!

    ResponderEliminar
  3. Imagino. Mas como não tivenenhuma experiência idêntica, só o cheiro da canela me desperta os sentidos!

    ResponderEliminar
  4. Eu adoro coisas polvilhadas/perfumadas com aquela coisa castanha em pó e que não vou dizer o nome para não ficares enjoada ;)

    ResponderEliminar
  5. Não tive nenhum episódio traumático... mas também não sou fã de canela!

    ResponderEliminar
  6. Canela, para mim só mesmo um pouquinho e se puder dispensar, dispenso :)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺