terça-feira, 11 de dezembro de 2012

não sofra mais com rebuçados peitorais

Não sou lisboeta, sou da Porcalhota.
Todas as minhas referências são as de uma míuda nascida e criada nos arredores.
Nas férias de natal os meus amigos íam com os pais para a terra.
E a minha terra era aqui.
Nas minhas visitas ao alentejo diziam baixinho quando eu passava "olha, ali vai a neta mais nova da pardalinha, a lisboeta".
Mas eu não era lisboeta nem tinha terra para onde ir, o alentejo não era a minha terra, era a terra dos meus pais.
Não sou míuda do campo, sou da cidade, o meu presépio nunca teve musgo verdadeiro.
Mas a vida era fantástica nestes meus arredores, um dia, em que não tenha tosse, vos conto.
Hoje apenas vos apresento um dos ex-libris da minha terra, os rebuçados Dr. Bayard.


(e não, não vos vou dizer de onde sou, google it)

19 comentários :

  1. Respostas
    1. :D devo referir que a Porcalhota foi objecto dum programa do Prof. Hermano José Saraiva!

      Eliminar
  2. Os rebuçados que ganhei de ti já foram todos ao ar :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desde que não comas o presépio, que aquilo é coisa para te lixar um dente!

      Eliminar
    2. Não sabes o quão fortes são os meus dentes :P

      Eliminar
  3. Adoro!!!
    A minha avó continua a comprar e eu continuo a leva-los para casa :)

    ResponderEliminar
  4. O meu primo-irmão que foi criado comigo também era da Porcalhota... E eu nada e criada em Algés, muito gozava com ele... amadorices.... (A Amiga da Onça estragou a tua adivinha! Devia ter respondido com dicas inteligentes... como a minha! Eheheheheh!..)

    Também gosto desses rebuçados!
    Beijinhos doces.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que queres? Afinal, ela é uma amiga da onça ;)

      Eliminar
    2. Beijinhos grandes e apertados às duas.
      E desculpa ter estragado o "passatempo", pela minha falta de inteligência.

      Eliminar
    3. Ó minha querida, nem isto era nenhum passatempo nem era para ofender ninguém! Sabes que eu adoro o teu nick e não resisto a brincar com ele! ;)

      Eliminar
    4. Querida, mandei até beijinhos grandes e apertados para as duas, e quem disse que não tinha respondido com dicas inteligente foi Graça Sampaio, blogguer que adoro admiro e respeito.
      Para ti vai mais um beijinho, e brinca à vontade que eu gosto.

      Eliminar
  5. loll ... que engraçado ... eu vivi na Porcalhota até aos meus 21 anos !!
    Se calhar fomos vizinhas ... lolll
    Mundo pequeno este :) e eu adoro esses rebuçados :)
    Kiss

    ResponderEliminar
  6. Apesar de não ser da Porcalhota, sou nascida e criada na cidade e apesar de ter os avós na aldeia, eram eles que vinham cá "nas festas". Os meus natais passava em casa de uma tia-avó e eram do melhor. Musgo verdadeiro também não havia no meu presepio (made by me e que mais parecia ter saido do micro ondas) lol

    Beejus
    Senra
    New & Recycled Fashion

    Usado Reciclado | Online 2nd Hand Store

    ResponderEliminar
  7. Xiça, não gosto nada desses rebuçados! :D

    ResponderEliminar
  8. Ahahah, eu sou da terra, do alentejo e das suas planíceis, mas sempre que tinha tosse a "mézinha" da minha mãe eram esses rebuçados e muito Vikky espalhado no peito. Eu detestava. O Vikky, claro está. ;)

    bjs

    ResponderEliminar
  9. Eu costumo dar esses rebuçados ao meu filho quando ele tem tosse!

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺