terça-feira, 21 de agosto de 2012

miss lazyness

Ao contrário do que possa parecer, sou muito caseira.
Adoro ficar em casa, no conforto, na preguiça, no remanso do lar.
Invariavelmente todos os dias faço planos para ir a qualquer lado, fazer qualquer coisa, estar com alguém.
E quase todos os dias adio esses planos.
Os de hoje (ir visitar a minha mãe) ficaram adiados para amanhã porque está muito calor.
Todos os dias saio de casa, vou beber a bica, vou ao supermercado, à florista, à papelaria, à loja de roupa da minha amiga, à cabeleireira, ao indiano comprar vernizes, aos correios, meter o euromilhões, ao multibanco... mas tudo dentro do bairro.
E a minha casa não é assim tão grande nem tão interessante.
Moro nos subúrbios, num solarengo T2 e na sala só há sofá e estantes, não tenho mesa nem cadeiras.
A cozinha tem mesa e cadeiras e eletrodomésticos, sendo que o frigorífico tem o congelador desligado e está quase vazio.
O quarto de dormir tem roupeiro e cama e cómoda e até mesinhas de cabeceira.
Uma das assoalhadas é quarto de visitas/closet/escritório/sítio onde passo a ferro e nunca fecho a tábua de engomar.
A marquise tem uma floreira de parede e um estendal, várias camas de gato, muitos brinquedos de gato e um escadote para o gato poder estar à janela.
O hall de entrada só tem um móvel, na casa de banho mal caibo eu e a despensa está transformada em closet de sapatos.
Ou seja, não há assim tanto com que me entreter, nem que arrumar ou limpar, nem eu sou dada a organizar a bijuteria por cores e muito menos a cozinhar.
Que faço eu em casa todo o dia?
Então, levanto-me e vou por a garrafa na cozinha (ando sempre com uma garrafa de água atrás) e vou para o WC tomar banho.
Regresso ao quarto 1 para por cremes e estender o toalhão de banho na marquise.
Depois vou para o quarto 2 escolher o outfit e vestir-me.
Volto ao WC para me pentear e por rímel.
Abro a despensa para tirar uns sapatos.
Volto à cozinha para trazer a garrafa de água.
Chego à sala e ligo a televisão e o computador.
Ligo a música e tiro o som à televisão.
Vejo os e-mails enquanto dou colo à Nônô.
Penso para comigo como a minha casa fica bonita com a luz da manhã.
Saio para a rua e chego a demorar meia hora (!!), afinal tenho que arranjar uma fotografia para o desafio.
Volto e regresso à sala e ao computador.
Corro com a Nônô do meu lugar no sofá.
Já vos disse como a minha casa fica bonita com a luz da manhã?

5 comentários :

  1. Eu também adoro estar assim na ronha na minha casa, mas sou muito stressada com a limpeza, com a arrumação... por isso, às vezes é melhor sair para não passar o tempo a inventar coisas para fazer.

    ResponderEliminar
  2. Tens uma vida muito ocupada portanto e não há nada como o conforto do nosso lar. Mas de vez em quando devias sair e arrejar e têm estado uns dias tão bonitos, até mesmo um bom livro numa esplanada à beira mar fazia bem . :))

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou suburbana e descartada. Logo, a praia mais próxima implica apanhar pelo menos um autocarro que demorará mais de meia hora a chegar ao destino... o que também implica gastar dinheiro no bilhete e ter uma enxaqueca garantida, com este calor é tiro e queda.
      E há meses que não consigo pegar num livro :( quer dizer, eu pego, mas não leio.
      Já mencionei que aqui à porta de casa tenho esplanada com vista jardim? ;)

      Eliminar
    2. E caracóis, servem lá uns caracóis muito bons!

      Eliminar

Obrigada pelo comentário ☺