quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Dia de Todos os Santos

Tenho sempre saudades do meu pai.
Por mais tarde que ele se fosse, para mim seria sempre cedo demais.
Tenho saudades do colo, dos olhares de mil palavras, da compreensão, do amor.
Também tenho saudades de discutir política com ele.
Mas tenho sobretudo saudades das partilhas que não chegámos a ter, das coisas que nunca lhe pude dizer nem mostrar, por ele já não estar.
A saudade não se desvanece, encontra um cantinho no nosso coração e aloja-se, deixa-se ficar.
A saudade, como o amor, é para sempre.

1 comentário :

  1. Querida Scarlet, obrigada por este texto. Também tenho saudades das coisas que nunca disse ao meu.

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺