segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Estados d'alma

Houve um tempo em que a escrita era o meu respirar.
Escrevia muito, escrevia tudo.
Quando não tinha o que escrever, escrevia o nome das coisas que via ou a primeira coisa que me vinha à cabeça.
Cor de laranja, azeitona, folhas, outono...
Assim, sem pensar, sem sentir, palavras soltas.
Escrevo menos, muito menos.
Não sei se é falta de inspiração ou se se é uma fase, se é a vida.
Descobri recentemente as imagens e como falar através delas.
Folhas desenhadas de outro modo, escritas escondidas, palavras caladas.
Não é preguiça.
Não é silêncio.
São só estados de alma.

1 comentário :

Obrigada pelo comentário ☺