quinta-feira, 30 de junho de 2011

Scars

(via)
A primeira cicatriz deu-se por volta dos 7 anos, cortei o joelho num vidro, o fundo duma garrafa, oculto na relva.
Colocaram-me um lenço no joelho enquanto não chegava a directora do colégio nem a minha mãe.
Não deitava sangue, mas eu espreitava por debaixo do lenço e via um osso e isso fazia-me chorar com medo.
Levaram-me para os bombeiros, que me fizeram uma sutura de 5 pontos com anestesia local.
(depois queixam-se que ninguém dá nada nos peditórios)
A segunda cicatriz chegou aos 12, caí no ginásio, resolvi ir mais cedo e fazer um treino de parelelas sózinha e sem colchão... correu mal, caí em cima do braço.
Levantei-me e não tinha cotovelo, apenas dois bicos dentro da pele, mas não doía e todos acharam engraçado.
Levei uma tarde no hospital, entre exames e espera, sem nunca sentir dor.
Por isso, quando o médico disse que eu tinha de ser operada e a minha mãe e a minha tia desataram num pranto, comecei também a chorar, convencida de que ía morrer.
Valeu-me a chegada do meu pai, que me garantiu ser apenas uma cirurgia, não a morte certa.
Sobrevivi.

2 comentários :

  1. Tenho uma no joelho direito, porque depois de avisada, aí umas mil vezes, continuei a andar de bicicleta na gravilha, até que um dia dei um valente tralho. Acho que não era lá muito esperta, afinal andar ali com a bicicleta custava como cornos.

    (ainda bem que te salvaste ;-)

    ResponderEliminar
  2. Querida Miss Scarlet, já tiveste a tua dose... ;)

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário ☺